Alameda Carlos de Carvalho, 1310 - Batel - Curitiba - PR loja@babydreams.com.br 55 (41) 3222-0688

RELACTAÇÃO – POR SINDRIANI FONSECA PEREIRA

Sindriani Fonseca Psicóloga especialista em relactação

Sindriani Fonseca
Psicóloga, doula e
consultora em aleitamento materno

Hoje vamos aproveitar o começo do Ano e falar de uma profissional que trabalha com Amor. Sindriani Fonseca é psicóloga e consultora em aleitamento materno e ajuda as mamães nas situações nas quais não é possível amamentar no peito, mas o amor é maior e a vontade de amamentar vence.

Sindriani é psicóloga, mas também coaching, doula e consultora em aleitamento materno e criou o Gerar. Gerar vem do Latim Generare, que significa dar origem, procriar. Com essa visão o Gerar surgiu visando o compromisso com a mulher, dando a ela e sua família todo suporte físico e psicológico, oferecendo o acompanhamento necessário, com atenção, cuidado, informação e amor.

“Pude ter o prazer de conhecer os dois mundos que mudariam minha vida, a neonatologia/ pediatria e a maternidade. Durante a graduação pude me dedicar completamente a essas áreas, realizei curso me tornando assim consultora em aleitamento materno e após o curso me direcionei mais para a relactação. Atuei ativamente em uma maternidade pública na região de Curitiba, e desde então como pessoa, mulher e profissional estou voltada aos direitos de gerar, “parir”, cuidar e amar. “

Abaixo, o que Sindriani nos ensinou sobre RELACTAÇÃO.

12431531_943916745693990_1203213671_n (2)

Mamãe Juliana e sua bebê.

A amamentação e o leite são inerentes aos mamíferos e nós, seres humanos, também nos encaixamos nessa categoria.

O ato de sucção do RN (recém nascido) é um comportamento inato, ou seja, todos nós nascemos com isso. Então, logo que o bebê nascer, se for colocado ao seio da mãe, irá iniciar o processo de sucção para, assim, obter o leite materno.

Entretanto, podem ocorrer algumas coisas não previstas, como um parto antes do tempo, nascendo assim um bebê prematuro, que muito provavelmente precisará de uma UTI NEONATAL e, por consequência, não poderá se alimentar no seio materno por algum tempo.

Neste tipo de situação o processo de RELACTAÇÃO é necessário, porque se o bebê não sugar a mama, logo o leite irá diminuir e sua produção poderá acabar.

E afinal o que é RELACTAÇÃO?

É uma técnica na qual se utilizam os seguintes materiais:

  • sonda nasogástrica (números 4,5,6 ou a qual o pediatra recomendar),
  • esparadrapo micropore,
  • mamadeira,
  • leite (artificial ou humano) fornecido por bancos de leite.

Como fazer:

Preparar o leite e colocar na mamadeira, cortar as duas pontas da sonda e a base do bico da mamadeira, colocar uma ponta da sonda dentro da mamadeira e a outra passar entre o bico da mamadeira, conseguindo fechar assim a mamadeira.

Estando a mãe em uma posição confortável, e com sutiã de amamentação, colocar a mamadeira entre os seios (essa sendo fixa e apoiada no próprio sutiã) e colar com micropore a outra ponta da sonda que sobrou no bico do seio da mãe.

O bebê quando sugar o seio da mãe receberá o leite artificial com auxílio da sonda e com o estímulo de sucção que ele fará na mama, também auxiliará na produção ou aumento de leite materno.

O processo

Durante o processo de relactação o bebê não pode usar a mamadeira para que ele não se adapte ao bico da mamadeira, somente o seio materno, por isso caso haja a necessidade de dar o leite sem ser neste processo, a mulher deve optar dar o leite no copinho ou em uma seringa.

A relactação também pode ser feita por mães que adotaram e querem amamentar, algumas literaturas também chamam esse processo de lactação adotiva. Vale lembrar que nesses casos é de suma importância consultar o medico ginecologista/obstetra, para que juntamente com o processo da relactação a mãe utilize medicamentos que estimularão a produção de leite.

Além dos inúmeros benefícios que o aleitamento materno proporciona ao bebê no âmbito de saúde física, vale ressaltar a parte vínculo/afetiva entre mãe e bebe, onde o contato pele a pele e o olhar nos olhos durante a amamentação fazem com que o desenvolvimento psicológico de ambos se desenvolvam melhor, criando assim uma aliança de amor e de troca entre mãe e bebê.

gerar 2

Gerar

Sindriani Fonseca Pereira

psicóloga, doula e consultora em aleitamento materno
Psicologia.fonseca@outlook.com
(41) 9953.2284

 

 

 

 

 

 

 

Por Ana Carolina Scheel